O equilíbrio brasileiro



Quando se fala em Teqball, podemos dizer que "Pegamos o bonde andando", pois chegamos agora no esporte. Porém, no primeiro mundial disputado pelo Brasil, mesmo com dificuldades de entender e acostumar com as regras, conseguimos o Terceiro Lugar no Mundial de 2018 e o Primeiríssimo lugar, na segunda oportunidade em 2019.

Marcos Vieira e Natália Guitler são uns dos responsáveis pela vinda do Teqball ao nosso País e por estarmos no topo do mundo.

O nosso Teqball Nacional Séries, que é uma classificatória para o Mundial - a ser realizado na África - se iniciou no dia 29 de Maio deste ano e está chegando a sua 4° e última etapa neste mês.

Não seria uma surpresa falar que nas 3 categorias, não há nenhuma dupla ou atleta 100% garantido no Mundial. Rio de Janeiro, Santa Catarina e Ceará são os estados que dominam e disputam a tão sonhada vaga.

E esse é o grande diferencial em nosso País, visto que mesmo com pouco apoio, temos um grande equilíbrio em nossos campeonatos com muitos atletas jogando em alto nível. Um exemplo disso, é a Categoria Dupla Masculina que teve um campeão diferente a cada etapa disputada.



É Importante falar também do Atleta que mais vem se destacando até aqui, Leo Lindoso. No auge dos seus 40 anos, é o único atleta que conseguiu subir ao pódio nas 3 etapas e em todas as categorias disputadas no Nacional junto com suas duplas JP Sonda e Vania Moraes, sendo o único que briga por vaga no Mundial em todas as categorias, basta um simples terceiro lugar no Misto e pronto. E não importa o tamanho do jogo, ele sempre encara com sua inteligência e frieza.



Não temos a certeza de quem estará no próximo Mundial, mas sabemos que, quem se classificar representará muito bem o nosso País lá fora.

E você, quem você acha que irá nos representar lá fora? Pra que você torce? Comente aqui e vamos torcer juntos pelo nosso esporte, pois NÓS SOMOS O TEQBALL!





25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo